Apresentação

Ciclo de Seminários Internacionais: Educação Infantil

Realizado pelo IAB em parceria com a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados e a Confederação Nacional do Comércio.


O campo das políticas públicas de Educação Infantil, especialmente da Primeira Infância, é relativamente recente. No entanto, a explosão dos conhecimentos sobre o desenvolvimento humano, a importância crescente dos países em cultivar os seus cérebros e os desafios cada vez maiores de suprir as necessidades das crianças e suas famílias apontam para a importância de políticas dessa natureza para um país como o Brasil.

Os artigos apresentados neste Seminário refletem o estado da arte sobre o tema e apresentam algumas das melhores práticas que vêm sendo desenvolvidas no âmbito dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), notadamente Inglaterra, França, países nórdicos e Estados Unidos. Os estudos de caso apresentados sugerem algumas lições da experiência de outros países que podem nos ajudar nesse processo, entre elas:

 

  • As políticas de atendimento a Primeira Infância devem ter em mente a família, e não apenas a criança.
  • As variáveis que mais afetam as condições para o desenvolvimento saudável da criança são de natureza macroeconômica e têm a ver, sobretudo, com as condições de pobreza, infraestrutura e saneamento, políticas de saúde e habitação, e políticas de emprego.
  • As políticas mais diretamente voltadas para a criança têm efeito relativamente restrito e, em nenhuma circunstância, suprem ou tornam desnecessárias as políticas que afetam as condições de vida das famílias.

 

Os artigos sugerem também a importância de medidas de impacto indireto e de médio prazo. A mais sugestiva delas consiste em promover o envolvimento de jovens – especialmente do sexo feminino – em programas voltados para o atendimento a crianças e suas famílias. Esse envolvimento permitiria, de um lado, um apoio mais qualificado a famílias de baixa renda e nível de escolaridade. Como investimento de longo prazo, no entanto, propiciaria uma formação conceitual e prática para as futuras mães, o que poderá resultar em adiamento da gravidez juvenil e, sobretudo, em melhores cuidados com seus filhos.

A formação adequada das futuras mães em todos os aspectos da Educação Infantil constitui-se, seguramente, no maior investimento que o Brasil – ou qualquer país – pode fazer para assegurar uma chance de futuro para suas crianças.

Em caso de dúvidas, escreva para: seminario@alfaebeto.org.br

 

PALESTRANTES

 

David K. Dickinson

Universidade de Vanderbilt

É doutor em educação pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e especialista em alfabetização.

Apresentou estudos científicos que relacionam positivamente leitura precoce e desenvolvimento da linguagem.

Professor e pesquisador da Universidade de Vanderbilt, também, nos Estados Unidos, dedicou sua vida à análise dos fatores que levam ao êxito da alfabetização, especialmente em crianças de classes sociais mais baixas, com menos estímulos linguísticos e culturais no ambiente familiar.

 

Lisa Freund

Child Development and Behavior Branch

Ph.D. pela Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, psicóloga e neurocientista cognitiva.

Desenvolve estudos centrados em crianças de diferentes origens populacionais. Foi cientista por diversos anos do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano (NICHD), dos Estados Unidos.

Tem treinamento e experiência nos campos de distúrbios do desenvolvimento neurológico e psicológico, da aprendizagem e na área da genética comportamental e molecular. Foi professora associada da Escola de Psiquiatria da Universidade de Johns Hopkins de Medicina e do Instituto Kennedy Krieger. Trabalha atualmente no Child Development and Behavior Branch, departamento do NICHD, é responsável por um programa multifacetado de pesquisa e treinamento, que promove uma compreensão mais profunda sobre os enlaces entre genes, o cérebro e o comportamento humano.

 

James Garbarino

Universidade de Loyola

Responsável pela cadeira de Psicologia humanística do Maude C. Clarke e diretor do Centro para os Direitos Humanos das Crianças da Universidade de Loyola, em Chicago, nos Estados Unidos. Foi codiretor do Centro do Desenvolvimento da Vida Familiar na Universidade de Cornell.

É Ph.D. em Estudos Humanos do Desenvolvimento e da Família também pela Universidade de Cornell. É membro da Associação Psicológica Americana e serviu como consultor ou conselheiro de inúmeras organizações, entre elas o Comitê Nacional contra o Abuso de Criança, o Instituto Nacional para a Saúde Mental, a Associação Médica Americana e o FBI.

Participou de missões da Unicef que avaliaram o impacto da Guerra de Golfo em crianças no Kuwait e no Iraque, e serviu como consultor para programas de atendimento a crianças refugiadas vietnamitas, da Bósnia e Croácia.

É autor de vários livros. Os últimos são: See Jane Hit: why girls are growing more violent e What We Can Do About It, ambos lançados em 2006.

 

John Bennett

OCDE

Pesquisador sênior da Rede OCDE Starting Strong, formada por um grupo de 17 países associados à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que se reúnem para pesquisar e discutir matérias atuais da política de educação infantil.

Foi diretor da Unidade Infanto-Juvenil e da Família na UNESCO e representou a organização no Comitê das Nações Unidas dos Direitos das Crianças e no Comitê das Nações Unidas para o Ano Internacional da Família. Começou na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico como consultor sênior para revisão da política da infância em 1998.

Foi o coautor, com Michelle Neuman, de trabalho comparativo de política da infância em doze países, intitulado Starting Strong: early childhood education and care, publicado pela OCDE em junho 2001. De 2005 a 2006, elaborou, como professor, o documento Starting Strong II, elaborado pela OCDE que envolveu 20 países, também publicado pelo Organização Internacional, em setembro de 2006.

Autor de muitos artigos, inclusive com contribuições à Enciclopédia Internacional da Educação, à Enciclopédia das Ciências Sociais e Behavioural. Foi também um membro de diversos júris e comitês internacionais no campo dos direitos da educação juvenil e das crianças. Formado em Filosofia na Universidade Nacional da Irlanda, Bennett continuou seus estudos na Universidade de Paris em Psicologia da criança, e terminou seu doutorado em 1976.

 

Publicações


Ciclo de Seminários Internacionais Educação no século XXI: Educação Infantil

1 de janeiro de 2010 | e-books | por Equipe IAB

educacao_infantilxxi
Esta publicação é resultado do Ciclo de Seminários Internacionais Educação no Século XXI: Educação Infantil, promovido pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados em parceria com o IAB. leia mais

Políticas e práticas de atendimento à primeira infância: lições da experiência internacional

25 de julho de 2007 | artigos | por Equipe IAB

artigos
Neste artigo, o autor tece algumas considerações sobre as ações e políticas voltadas à primeira infância desenvolvidas por diferentes países, em especial os países da OCDE. leia mais