Além das letras

261
método fônico

Pelo Censo de 2010, 5,3 milhões de jovens de 18 a 25 anos não estudam nem trabalham. Além da denominação pejorativa de geração “nem-nem”, essa condição aniquila as perspectivas de ascensão pessoal de forma que nenhum Bolsa Família poderá compensar.

Em entrevista a esta Folha, o economista Richard Murnane, da Universidade Harvard (EUA), afirmou com propriedade que “a percepção de que os pobres sempre serão pobres é uma ameaça à democracia”. Esse ciclo de reprodução da penúria pode ser atenuado com programas de distribuição de renda, mas só será interrompido com avanços na qualidade do ensino, na escolaridade e na qualificação.

O jornal Folha de S.Paulo não permite a reprodução do texto na íntegra. Para conferir a reportagem completa, clique aquil