O que é leitura interativa e como fazer?

Leitura interativa: você sabia que essa é a forma mais eficaz de ler para a criança pequena?

45
Leitura interativa

A leitura interativa – como a conversa – é como um jogo de tênis: um manda a bola, o outro rebate. Na leitura interativa o que vale é o diálogo em torno do texto.

Esta é a forma mais eficaz para promover o gosto e hábito pela leitura. Além disso, ela também estimula o desenvolvimento da linguagem: o vocabulário, o conhecimento do mundo, o entendimento de estruturas sintáticas, o conhecimento das letras, a função dos livros e dos diferentes tipos de texto e, sobretudo, o desejo de aprender a ler.

O livro é muito importante desde as fases iniciais da vida. Já durante a gestação, o bebê aprende a identificar vozes, ritmos e características da língua que aprenderá a falar. Mesmo antes de aprender a ler, o contato com livros e com a leitura feita por adultos ajuda a criança a aprender uma linguagem diferente – e muito mais complexa – do que a usada no dia a dia.

Introduzir a criança ao mundo dos livros significa introduzir o mundo na vida da criança. Os livros apresentam diferentes maneiras de comparar e apreender o mundo, já que os objetos reais são representados por meio de figuras, palavras e sinais, dando início a formas variadas de abstração.

Além disso, os livros permitem aos adultos conversar com as crianças a respeito de uma variedade de temas mais ampla do que a que surge espontaneamente no dia a dia, possibilitando novas abordagens sobre temas cotidianos como os sentimentos, os medos, os sonhos, as emoções, as opiniões de outras pessoas e as realidades que não estão no dia a dia da criança. Ou seja, a leitura interativa permite aos pais ajudar as crianças a fazer a ponte entre o mundo da leitura (o que está nos livros) e a leitura do mundo (o que os livros dizem sobre o mundo. A interação entre os pais, com ou sem livros, permite percorrer o caminho contrário – por exemplo, quando você visita um zoológico e compara com os bichos que a criança já conhece dos livros.

Ler, brincar e conversar são os instrumentos que a criança usa para aprender. Estes instrumentos, porém, não são de efeito automático: dependem dos atores e da forma de usá-los. Todos os três são essenciais, e os cuidadores desempenham um papel muito importante para que esses instrumentos possam ajudar a desenvolver a linguagem, o pensamento e a inteligência da criança.

 

Dicas para fazer a leitura interativa:

 

O que ler?

  • Leia os livros que a criança escolher, os livros de que ela mais gosta.
  • Leia livros que interessem a criança, de acordo com sua idade e seus gostos. A criança não nasce com os gostos definidos, você pode influir muito oferecendo e lendo com ela livros bons, de maneira dialogada.
  • Leia livros variados, livros literários e livros que trazem informações sobre pessoas, animais, plantas, veículos, enfim, assuntos que interessam a criança.
  • Assuntos que mais atraem as crianças em cada idade:
    • Até 12 meses: fotos de bebês; caras e expressões
    • 12-24 meses: objetos familiares; rotinas do dia a dia; cenas familiares
    • 24-36 meses: veículos, animais, natureza; livros com ou sem palavras, com sons, rimas e onomatopeias; pequenas histórias; histórias e personagens divertidas
    • 3-5 anos: aventuras; contos; fábulas; histórias da Bíblia; histórias com explicações sobre o funcionamento das coisas; livros informativos

Como ler?  ESPICHE A CONVERSA

E – Espiche a conversa. Espichar a conversa é interagir, estimular, comentar, trocar ideias, perguntas e respostas com a criança.

S – Siga as dicas da criança. Retome e amplie o que ela disser, usando corretamente as palavras que ela usou do jeito dela.

P – Pergunte de forma que a criança dê explicações, analise, ou faça comparações ou predições, e possa imaginar coisas que poderiam acontecer.

I – Individualize a interação: concentre-se na conversa com a criança. Se houver outras crianças elas podem participar da conversa, mas mantenha sua atenção em uma de cada vez.

C – Converse em torno de um tema, isso ajuda a criança a repetir as mesmas palavras e reter os seus sentidos.

H – Habitue a criança a ouvir, esperar a vez, intervir na hora certa, intervir de forma adequada, a participar ativamente da conversa e a aceitar opiniões diferentes da sua.

E – Encoraje a criança a conhecer, explorar e conversar sobre situações, assuntos e livros novos, e não apenas sobre assuntos que ela já conhece e gosta.

 

A – Ajoelhe, agache ou sente-se no chão para fazer contato visual com a criança.

 

C – Conte e estimule a criança a contar histórias sobre sua vida, a narrar eventos e a descrever o que está fazendo.

O – Ouça com paciência. Espere a criança organizar sua fala. Não tente ajudar, adivinhar ou apressar a criança.

N – Não monopolize a conversa nem dê respostas prontas. As crianças devem falar, ao menos, 50% do tempo em cada interação.

V – Você é o modelo: use vocabulário rico e abstrato, estimulando a criança a pensar e imaginar.

E – Estimule a criança a usar palavras adequadas e frases completas para expressar ideias e perguntar sobre coisas que ela não entende.

R – Responda perguntando, devolva perguntas com outras perguntas, dando exemplos, estimulando as crianças a procurar e usar palavras semelhantes, sinônimos, antônimos.

S – Selecione um assunto, relacione-o com outras conversas, leituras ou eventos reais ou imaginários para ajudar a criança a estabelecer relações entre eles.

A – Aproveite todos os momentos como o café da manhã, almoço e passeios na rua para conversar individualmente com cada criança.

 

Quer saber mais? Baixe os livros gratuitos da Alfa e Beto:

 

Conheça as Soluções da Alfa e Beto para a Leitura Interativa

 

Evidências Científicas

  • COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Educação Infantil. Relatório do Seminário Internacional sobre Educação Infantil. Brasília: CNC/Câmara dos Deputados/IAB, 2007.
  • DEX, S.; JOSHI, H. Children of the 21st century: from birth to nine months. Bristol: The Policy Press, 2010.
  • HART, B.; RISLEY, T.R. Meaningful differences in the everyday experience of young American children. Baltimore, Md.: Paul H. Brookes Publ. co., 1995.
  • HIRSCH JR. E.D. Reading Comprehension requires knowledge of words and the world. American Educator, Primavera 2003, p. 10-44.
  • LAREAU, A. Unequal Childhoods: Class, race, and family life. Berkeley, Los Angeles, London: University of California Press, 2003.
  • NEWUMAN, S.B. Books make a difference. A study of access to literacy. Reading Research Quarterly, 34, 286-312.
  • SNOW, C.; GRIFFIN, P. (Eds.). Preventing reading difficulties in young children. Washington, D.C.: National Academy Press, 1999.