Educação Baseada em Evidências

315

Do que se trata

  • Educação baseada em evidências é uma abordagem aos problemas educacionais que incorpora as evidências científicas na análise e formulação de políticas públicas e projetos de intervenção.
  • Evidências científicas são qualificadas e calibradas por normas científicas referentes à metodologia usada nos estudos considerados. Isso inclui o rigor metodológico, a evidência comparativa e acumulada e a reputação e rigor dos conselhos editorais das revistas e publicações.
  • A ciência evolui e da mesma forma evoluem as evidências. No mundo da ciência as evidências consideradas válidas são aquelas colhidas no contexto do paradigma científico dominante numa determinada área e dos critérios de validação definidos por esses paradigmas. O “tamanho do efeito” é um dos critérios relevantes – não basta que uma diferença entre grupos seja significativa, é preciso que ela seja robusta.
  • No momento atual a “regra de ouro” são os estudos longitudinais e as evidências colhidas por meio de estudos controlados randomizados, que permitem inferências causais (e não apenas descrições, estudos de caso ou correlações). O contrafactual é requisito básico para demonstrar a eficácia de uma determinada intervenção.
  • Na área da educação as evidências mais robustas provêm de estudos de validação de intervenções realizados por economistas (ou usando modelos econométricos) e por psicólogos, usando métodos experimentais complementados ou não por evidências oriundas da neurociência.

O que dizem as evidências

  • Destacam-se como evidências mais robustas na área da educação:
    • O desempenho escolar se deve muito mais a fatores extraescolares associados à família e origem dos alunos do que a fatores escolares.
    • Fatores escolares são importantes mas sua eficácia e impacto interagem com os fatores extraescolares (por exemplo, indivíduos provenientes de camadas sociais mais baixas se beneficiam mais se estudam numa escola em que a maioria dos alunos fazem parte de uma camada social mais elevada).
    • O fator escolar mais relevante para explicar/assegurar o sucesso escolar do aluno é o nível acadêmico do professor (e não o tipo ou conteúdo de sua formação)
    • O método fônico é o procedimento mais eficaz para alfabetizar crianças e especialmente mais eficaz para alfabetizar crianças provenientes de ambientes socioeconômicos mais desfavoráveis.
    • O tempo que o aluno passa estudando (em casa ou na escola) é diretamente correlacionado com o desempenho escolar. O que explica o ganho é o tempo investido em tarefas relevantes de aprendizagem, não o tempo de duração do dia escolar (por exemplo tempo integral por si só não melhora a aprendizagem).

O Instituto Alfa e Beto defende e propõe que:

  • É imperativo facilitar e ampliar o acesso de pesquisadores aos microdados produzidos pelas agências governamentais, e, no caso da educação, especialmente microdados relacionados com demografia, emprego, renda e desempenho escolar. São esses dados que permitem realizar estudos para comprovar a eficácia de diferentes politicas e intervenções.
  • Os governos em todos os níveis, as Universidades e as organizações não governamentais devem estabelecer e divulgar seus padrões para o reconhecimento de evidências em suas respectivas áreas de atuação.
  • Recursos públicos só deveriam ser investidos (a) para avaliar de maneira adequada o desenvolvimento e/ou impacto de projetos e intervenções e (b) para financiar intervenções que comprovadamente tenha produzido resultados.

Principais publicações do Instituto Alfa e Beto sobre o tema:

2003 – Os novos caminhos da alfabetização infantil

2008 – Educação Infantil – Modelos de Sucesso. Ciclo de Seminários Internacionais Educação no século XXI.

2008 – Reforma Educativa: modelos de sucesso. Ciclo de Seminários Internacionais Educação no século XXI.

2008 – Ensino Médio Diversificado: Modelos de Sucesso. Ciclo de Seminários Internacionais Educação no século XXI.

2009 – I Seminário Internacional do IAB – Profissão professor: o resgate da pedagogia.

2010 – Ii Seminário Internacional do IAB: Leitura Desde o Berço: políticas sociais integradas para a Primeira Infância.

2011 – III Seminário Internacional do IAB: Ensino da Matemática nas Séries Iniciais.

2011 – Seminário Especial: Alfabetização: Evidências científicas internacionais sobre o que melhor funciona

2012 – IV Seminário Internacional do IAB: Educação Infantil: evidências científicas e melhores práticas

2013 – V Seminário Internacional do IAB: Cobertura da educação pela mídia: melhores práticas

2014 – Vi Seminário Internacional do IAB: Educação Baseada em Evidências

2014 – VII Seminário Internacional do IAB: Como saber se o aluno foi alfabetizado?

2015 – VIII Seminário Internacional do IAB: Ensino da Língua e Formação de Professores

2015 – IX Seminário Internacional do IAB: Educação com Baseada em evidências como saber o que funciona em educação.

2016 – X Seminário Internacional IAB: Como atrair e manter professores de alto nível no sistema escolar: o caso Cingapura

Veja mais publicações do Instituto Alfa e Beto sobre o tema clicando aqui.