Desenvolvimento Infantil

270

Do que se trata

  • O termo desenvolvimento infantil pertence ao domínio da Psicologia do Desenvolvimento e se refere a um estágio específico do desenvolvimento – tipicamente vai do nascimento até a adolescência. Alguns autores subdividem o período em dois ou três subperíodos.
  • O termo “Primeira Infância” surgiu com força a partir da década de 90 e refere-se aos anos iniciais de vida. O termo foi usado no contexto em que se elevaram as expectativas a respeito da “plasticidade cerebral” que ocorre nos primeiros anos de vida e que favorece e amplia o impacto de estimulações e intervenções.
  • A maioria dos autores usa o termo para referir-se ao período do nascimento ao 3o ano de vida, mas tradicionalmente o termo abrange até o 6o ano de vida – quando se inicia a entrada na escola formal, na maioria dos países.

O que dizem as evidências

  • O objetivo final de uma política adequada de desenvolvimento infantil/Primeira Infância deve ser a de assegurar a cada criança condições de atingir o seu pleno desenvolvimento, independentemente da situação em que nasceu.
  • O desenvolvimento infantil é a etapa de vida mais importante para definir as chances de sucesso dos indivíduos na vida e na escola.
  • As pessoas se desenvolvem como um todo, mas para efeito de entendimento, estudo e intervenção, podemos observar e agir em áreas específicas como o desenvolvimento físico, motor, pessoal, social, emocional, cognitivo e da linguagem.
  • O processo de desenvolvimento é ditado pela genética, mas a genética é influenciada pelas condições de nascimento e pelo ambiente em que a criança vive nos primeiros anos de vida.
  • A condição e a ação da família e da comunidade em que a criança nasce e vive seus primeiros anos é fundamental para estimular ou inibir o processo de desenvolvimento. A estabilidade, previsibilidade e presença de estímulos mínimos e adequados ao nível de desenvolvimento da criança são condições básicas para assegurar um desenvolvimento adequado.
  • As políticas públicas mais importantes para promover o desenvolvimento infantil incluem (a) políticas de redução da pobreza (b) infraestrutura, especialmente saneamento básico) (c) segurança e instituições sociais que promovam o desenvolvimento cultural (acesso a espaços, parques, praças, bibliotecas, etc.) e (d) políticas focadas na família, e não na criança, de forma a que a família possa assumir sua responsabilidade com os meios mais adequados às suas circunstâncias.

O Instituto Alfa e Beto defende e propõe que:

  • A atual política nacional do Ministério da Educação, focada unicamente em creches é inadequada, tem foco na provisão de creches e a regulação existente no nível nacional e local encarece os custos sem assegurar qualidade.
  • Os recursos existentes nos orçamentos da Educação são inviáveis para promover um atendimento universal e de qualidade. Como os recursos são limitados, parece mais prudente mudar a abordagem do que diluir recursos em formas de atendimento de baixa qualidade.
  • O Programa Criança Feliz, desenvolvido pelo Ministério da Cidadania se baseia em modelo de intervenções que já foram avaliadas positivamente e, onde for bem implementado, pode trazer importantes contribuições para o desenvolvimento das crianças e das famílias envolvidas.

O foco da atuação do Instituto Alfa e Beto:

  • Programas para o desenvolvimento da leitura desde o berço
  • Foco nas interações adulto criança (Universidade do Bebê)
  • Currículo e estratégias de intervenção para a Educação Infantil
  • Capacitação de educadores usando a Metodologia CLASS
  • Capacitação de formadores do Programa Criança Feliz
  • Realização de pesquisas sobre o tema.

Principais publicações do Instituto Alfa e Beto sobre o tema:

Veja mais publicações do Instituto Alfa e Beto sobre o tema clicando aqui.