Em vídeo, professor João Batista Oliveira dá orientações sobre como lidar com as crianças em casa ao longo da quarentena do coronavírus

De acordo com o especialista, os pais devem transmitir segurança, tranquilidade e organizar uma rotina com as diversas atividades que a criança deve ter ao longo do dia.

1516
com as crianças em casa ao longo da quarentena do coronavírus

Em vídeo produzido para responsáveis de alunos de uma creche do Rio de Janeiro, o presidente do Instituto Alfa e Beto, professor João Batista Oliveira, explicou como eles podem criar melhores condições para lidar com as crianças durante a pandemia de coronavírus.

De acordo com o especialista, existem diversos aspectos da criança que precisam ser observados, como o desenvolvimento emocional e cognitivo. Além disso, o professor João Batista Oliveira reforça que o principal papel dos pais é transmitir segurança para a criança nesses tempos difíceis, bem como manter regras consistentes na rotina: “É preciso estabelecer o que pode e o que não pode. Determinar quais são os limites e tentar não quebrar muito essas regras para que seu filho sinta confiança e saiba quais são os limites”.

O especialista em educação e desenvolvimento infantil diz também que a interação entre os pais e filhos precisa ser de qualidade e focada no desenvolvimento: “Interagir é estimular e acompanhar a criança, conversar e brincar com ela, e, a partir disso, ajudá-la a se desenvolver e a aprimorar cada vez mais as suas habilidades, sentimentos e afetos”.

Dentre as atividades recomendadas para se fazer em casa estão as que envolvem o desenvolvimento físico, onde a criança dá vazão à energia que tem, além de atividades de leitura e linguagem rítmica, como poesias, rimas, quadrilhas e fantoches.

O professor ainda reforça a importância do brincar no desenvolvimento infantil: “as crianças brincam de várias maneiras, seja com o próprio corpo, com adultos ou com outras crianças. Brincar é algo muito sério, é uma forma de aprender. É, portanto, uma fonte importante de prazer e aprendizagem”, explica.

Por fim, o professor João Batista Oliveira diz que é preciso compreender os sentimentos das crianças e ter muita calma e paciência nesse momento de crise: “O adulto deve ter paciência e calma para ouvir. Deve estar preparado para aceitar os sentimentos dos filhos e conversar a respeito. Acalmar a situação e ouvir o que a criança tem a dizer. Reagir com agressividade ou negar o sentimento da criança pode gerar mais resistência e frustração. Não se trata de regras ou dicas, são princípios gerais que podem ajudar os pais a levar melhor esses dias e a entender e conhecer um pouco melhor os seus filhos e como ajuda-los a se desenvolver num ambiente seguro e previsível, inclusive em momentos de estresse”, conclui.

Assista o vídeo na íntegra abaixo: