Município de Nova Ramada (RS) utiliza videoaulas e conta com apoio dos pais para dar continuidade à alfabetização das crianças durante a pandemia

Videoaulas e material didático consistente são a aposta da cidade para o sucesso do processo de alfabetização das crianças.

1000
alfabetização das crianças

Parceiro do Instituto Alfa e Beto desde 2009, o município de Nova Ramada, no Rio Grande do Sul, está produzindo videoaulas sobre os conteúdos do livro “Aprender a ler”, da Alfa e Beto Soluções, para dar suporte às famílias dos alunos no processo de alfabetização durante o isolamento social imposto pela covid-19.

A iniciativa de produzir videoaulas foi da coordenadora do Programa de Alfabetização, Adriane Rubert, da Escola de Ensino Fundamental Dom Pedro I: “com as videoaulas eu pretendo auxiliar as famílias no uso do material didático que foi entregue aos alunos, pela Secretaria de Educação”, afirma.

Com base no método fônico de alfabetização, a professora, que também coordena os Programas Alfa e Beto no município, gravou a videoaula, explicando, de forma didática e acessível às crianças e pais, a pronúncia do fonema correspondente ao grafema “L”, conteúdo da Lição 3 do livro “Aprender a Ler”.

Os alunos têm respondido de forma positiva à iniciativa. Depois de assistirem às videoaulas, eles fazem os exercícios e enviam fotos e vídeos para que a professora acompanhe a evolução do aprendizado.

A opinião das famílias também tem sido favorável à iniciativa. A mãe do aluno João Emanuel, Tânia Stefani, diz que aguardava com grande expectativa o ano escolar do filho, e que as videoaulas e explicações estão auxiliando nesta fase de ensino remoto: “as videoaulas e as explicações dadas pela professora estão nos auxiliando no processo de alfabetização dos filhos”, afirma.

Para Luciane Thomasio, mãe da Heloíse T. Mafalda, as videoaulas estão sendo fundamentais para que a aprendizagem da filha não seja interrompida: “nas aulas remotas, a professora explica as tarefas de forma clara. Isso nos ajuda, principalmente na parte de leitura. Minha filha se adaptou muito bem ao método fônico. A Heloíse está com uma boa leitura”, conta.

Já para Letícia R. Fiorin, mãe do Lucas Fiorin, o método adotado pela professora para dar as aulas durante essa pandemia é muito interessante para as crianças: “O Lucas gosta de mandar fotos e mostrar para a professora as atividades que ele fez. E eu gosto de acompanhar de perto o aprendizado dele”, ressalta.

Fernanda R. P, mãe do aluno Davi Gross, concorda que “a iniciativa é importante para que os alunos possam continuar aprendendo durante esses meses em que não estão tendo aulas presenciais”.

Confira no vídeo abaixo as explicações da professora sobre os exercícios referentes à Lição 3 do livro “Aprender a ler”. A didática consiste em trabalhar primeiro a consciência fonêmica, e, posteriormente, a explicação de cada exercício do livro.