Entrevista com o professor João Batista Oliveira sobre as aulas de Língua Portuguesa / Alfabetização do Programa Alfa e Beto na TV, que estreia no dia 26

Nas entrevistas que publicaremos nos próximos dias, vamos falar também das aulas de Matemática e apresentar os atores-professores que todo dia estarão em contato, por meio da Rede Vida, com milhares de crianças e famílias de todo o país.

337
alfa e beto na tv

Faltam só 20 dias! Vocês já estão se programando? No dia 26 de outubro, como já foi noticiado aqui, estreia na Rede Vida o Programa Alfa e Beto na TV, com aulas de Língua Portuguesa / Alfabetização e de Matemática. O público-alvo são crianças que estão concluindo o 1º ano do Ensino Fundamental ou crianças de qualquer série que ainda não foram alfabetizadas. Nessa nova entrevista, o professor João Batista Oliveira, presidente do Instituto Alfa e Beto, fala das aulas de Língua Portuguesa do Programa Alfa e Beto na TV.

Nas entrevistas que publicaremos nos próximos dias, vamos falar também das aulas de Matemática e apresentar os atores-professores que todo dia estarão em contato, por meio da Rede Vida, com milhares de crianças e famílias de todo o país. Com a palavra, o professor João Batista Oliveira

Em sua entrevista anterior, o senhor disse que o programa tem como base o currículo do Instituto Alfa e Beto de Língua Portuguesa e Alfabetização, e que esse currículo é fundamentado na Ciência Cognitiva da Leitura. Isto pode ser visto pelas famílias e também pelos gestores municipais de educação como um “selo de qualidade”, de embasamento científico do que se está ensinando? Poderia explicar um pouco mais sobre o que isso significa, já que, infelizmente, não temos uma cultura de valorização da ciência, das evidências científicas?

JBO: Há dois tipos de evidência científica a respeito de currículos e programas de ensino. O primeiro se refere à estrutura e sequência dos conteúdos e habilidades propostas. Tanto no caso do ensino da língua, em geral, quanto da alfabetização, em particular, nosso currículo se baseia nas evidências mais robustas a respeito de como se deve organizar o ensino. O segundo tipo de evidência se refere à eficácia: funciona?  Isso precisa ser testado, e nosso programa já passou nesse teste inúmeras vezes.

Também na outra entrevista, o senhor disse que “tem um objetivo adicional em mente, que é o de mostrar aos professores maneiras de ensinar e abordagens que possivelmente eles nunca tiveram oportunidade de ver”. Poderia falar um pouco mais detalhadamente sobre essas maneiras de ensinar, sobre essas abordagens que muita gente possivelmente não teve oportunidade de ver?

JBO: O aspecto mais crítico do ensino presencial é a qualidade do professor, e essa qualidade deriva de seu nível de conhecimentos gerais, conhecimentos específicos sobre a disciplina que leciona e experiência em ensinar. Num programa de TV, podemos contar com conteúdos elaborados com um elevado nível de qualidade, e que são transmitidos utilizando uma série de instrumentos que, em parte, existem na sala de aula e que, em parte, requerem tecnologias digitais. No programa Alfa e Beto na TV, o professor pode apreciar como se pode fazer essa junção, e como suas aulas podem ser muito mais eficazes e dinâmicas do que vemos usualmente. O fato de não haver muitos alunos na sala torna o ambiente menos realista, num certo sentido. Mas, em outro, torna o ensino totalmente transparente.

“Aprender brincando e brincar aprendendo” é algo muito associado à Primeira Infância, à Pré-escola. Isso continua válido no 1º ano do Ensino Fundamental, que é quando a criança deve aprender a ler e a escrever, e começar a avançar também na Matemática?

JBO: Aprender brincando e brincar aprendendo é a marca registrada dos programas de Educação Infantil do Instituto Alfa e Beto. A razão disso é cognitiva: brincar é a forma de aprender das crianças. O ensino formal marca uma transição. A partir da entrada no ensino fundamental, por volta de 5 a 6 anos de idade, na maioria dos países, a criança já começa a desenvolver a capacidade de pensamento formal e a aprender por meios que não sejam apenas os próprios da brincadeira. Mas ainda é uma fase de transição, e, portanto, ambas abordagens devem ser utilizadas. Mas já prevalece o ensino formal.

Quais são os principais tópicos curriculares abordados no programa Alfa e Beto na TV?

JBO: Um currículo de Língua Portuguesa se estrutura em três pilares: leitura, escrita e alfabetização. No primeiro ano, o componente principal é a alfabetização – aprender a ler e escrever. Mas, em paralelo, desenvolvemos habilidades de compreensão de leitura, preparação para a escrita por meio de atividades orais, e expressão oral. A criança aprende a elaborar frases simples, seguindo as regras formais da gramática. E aprende a compreender verbalmente textos muito mais complexos do que seria capaz de ler sozinha. E aprende a compor verbalmente textos muito mais completos do que seria capaz de compor.

A metodologia de alfabetização utilizada no programa funciona bem tanto em sala de aula quanto em um programa feito para a TV?

JBO: Não sabemos. Temos um software, o Ilhas do Alfabeto, que já foi avaliado e comprovadamente alfabetiza as crianças. O programa da TV junta nossa experiência com o ensino presencial, o ensino individual (homeschooling) e o ensino via software.  E ainda acrescenta os recursos da TV. Sozinhas, poucas crianças serão alfabetizadas, como acontece, de resto, na vida normal. Mas se houver um mínimo de acompanhamento em casa e pelas escolas, há fortes razões para acreditar que o programa será um sucesso. Ademais, há um grande público que tem apenas rudimentos de alfabetização, e que poderá se beneficiar muito deste programa.

As crianças e famílias que assistirão ao programa terão como apoio os materiais e livros produzidos e usados nos programas regulares do Instituto Alfa e Beto. Quais são os caminhos para poder ter esses materiais e tirar um proveito ainda maior do que o programa de TV está ensinando?

JBO: Há duas situações ideais. A primeira é aquela em que a escola ou a Secretaria de Educação irá organizar o apoio aos alunos, de acordo com as orientações que estamos fornecendo. Isso implica passar e corrigir os deveres de casa e organizar algumas sessões especialmente para atividades de ditado e leitura. A outra é a do homeschooling, em que os pais acompanham e orientam os filhos. Na alfabetização, isso ainda é essencial – depois de alfabetizados, o tipo de acompanhamento é bem mais suave.

Trata-se do primeiro programa de alfabetização e de aulas de Matemática do primeiro ano da TV brasileira?

JBO: Eu não saberia dizer. Mas certamente será o primeiro que utiliza rigorosos métodos de alfabetização – possivelmente o primeiro no mundo. A conferir.