Alfa e Beto na TV é pauta em reportagem do jornal Valor Econômico

Educação pela TV é um dos caminhos para ensino na pandemia

167
alfa e beto na tv

O programa Alfa e Beto na TV, desenvolvido pelo Instituto Alfa e Beto e exibido pela Rede Vida Educação e também pela internet foi pauta para uma reportagem publicada pela jornalista Lucianne Carneiro, no Valor Econômico.

Os programas são apresentados por dois atores-professores e quatro bonecos fantoches (Alfa, Beto, Gama e Delta), que interpretam alunos na sala de aula. Diante da boa receptividade, o instituto decidiu ampliar o conteúdo para mais seis anos letivos – pré I, pré II e do 2o ao 5o ano do Ensino Fundamental –, que estão em processo de gravação e serão lançados em março.

A reportagem afirma que em meio às dificuldades de acesso à internet e falta de celular e computador de alunos de escolas públicas, a educação pela TV foi um dos caminhos encontrados para o ensino remoto durante a pandemia.

Em depoimento para a jornalista, o presidente do Instituto Alfa e Beto, João Batista Oliveira afirmou: “Nunca pensamos em alfabetização pela TV porque este é um aprendizado que precisa de interação, de pegar na mão do aluno. Mas a pandemia trouxe o desafio e preparamos um material com uma proposta lúdica. O sucesso tem sido tanto que decidimos ampliar para mais anos letivos. As pesquisas que já fizemos mostram o acompanhamento da família e das crianças à programação”. O especialista colaborou com o programa de alfabetização em Sobral (CE), cidade reconhecida por seus avanços na educação pública.

Moradora de Manhuaçu, na zona da mata mineira, Lindonira Maria dos Anjos Dias tem acompanhado diariamente as aulas do Alfa e Beto na TV com o filho Nicollas, de sete anos, pelo celular, já que o computador da casa está quebrado. Até outubro, quando foi lançado o programa, ela ia quinzenalmente à escola para pegar as atividades impressas para o filho e depois retornava para as correções. Segundo ela, já é possível perceber uma diferença no desenvolvimento do filho desde que começou a assistir o Programa Alfa e Beto. “Ele adora
os vídeos e fica muito atento, vejo que fez diferença. Não é que as atividades da professora não fossem boas, mas o desenvolvimento agora é muito maior”, conta.

O programa do Alfa e Beto é aberto a todas as escolas e alunos interessados, mas o projeto tem uma atuação mais próxima nos municípios que já trabalham em parceria com o instituto, com distribuição de livros didáticos e apoio na implementação do programa, como capacitação e orientação dos profissionais. No ano passado, 21 municípios aderiram ao Alfa e Beto na TV, como Itaguaí, no Rio de Janeiro, Boa Vista, em Roraima, e Jacaré dos Homens, Roteiro e Jequiá da Praia, em Alagoas, por exemplo.

Confira a reportagem completa aqui.