Pesquisa aponta bom engajamento de alunos do 1º ano de Manhuaçu (MG) e seus responsáveis com o programa Alfa e Beto na TV

Pais passaram a acompanhar mais de perto os estudos dos filhos e relatam ter aprendido com o programa.

453
manhuaçu

Pesquisa realizada pela consultoria IDados no município de Manhuaçu (MG) avaliou a audiência, engajamento, uso do material disponibilizado e participação dos alunos e de seus familiares no Alfa e Beto na TV – 1º ano. O programa foi veiculado pela Rede Vida Educação e pela internet entre outubro de 2020 e março de 2021.

Ao longo dos seis meses de exibição do programa, foram entrevistados por telefone 131 responsáveis pelos alunos, em sua grande maioria mães. A escolha dos entrevistados se deu por sorteio, de forma a obter uma amostra aleatória (cerca de 10% dos pais). A maioria dos entrevistados tinha entre 31 a 40 anos, e quase a metade havia cursado no máximo o ensino fundamental completo.

Audiência – Segundo o levantamento, cerca de um terço das famílias ainda não conhecia o programa nas primeiras semanas de exibição na TV. A porcentagem se aproximou de 90% em janeiro de 2021.

Já a porcentagem dos que assistiram ao programa dentre os que sabiam da sua existência oscilou entre 55 e 60% – quase a metade todos os dias. Poucos o viam apenas uma vez na semana.

O Alfa e Beto na TV – 1º ano é composto de dois programas – um de Língua Portuguesa (Alfabetização) e outro de Matemática. De acordo com a pesquisa, ambos eram vistos pela grande maioria dos alunos.

A maior parte das crianças assistia ao programa junto com os responsáveis. Ao serem perguntados sobre o que achavam do Alfa e Beto na TV, os entrevistados usaram mais em suas respostas expressões como “divertido” e “organizado”.

Material didático – A ideia do programa era que os alunos o acompanhassem na TV ou pela internet utilizando o material didático. Segundo o levantamento, mais de 50% dos alunos passaram a utilizar o material após algumas semanas de exibição do programa.

A porcentagem de pais que auxiliavam os alunos com o uso do material durante a exibição do programa foi baixa inicialmente, mas alcançou mais de 40% em janeiro, mês de férias escolares.

Já para fazer o dever de casa, mais alunos usaram o material, sendo que a porcentagem aumentou ao longo do tempo. A pesquisa também detectou que a maior parte dos pais ajuda a criança com o dever de casa regularmente.

Os pais também foram ouvidos com relação ao material didático. Novamente, “organizado” foi o adjetivo mais usado. Entre as respostas espontâneas, as palavras mais recorrentes foram “interessante” e “muito bom”.

Ainda de acordo com os pais, o que os alunos mais aprenderam foi a ler e a fazer caligrafia, mas há uma porcentagem importante para compreensão de textos. A grande maioria dos pais considera, ainda, que os alunos aprenderam tabuada (75%).

Efeitos do programa sobre os pais – Mais de 70% dos pais afirmaram que passaram a acompanhar mais de perto os estudos do filho com o Alfa e Beto na TV. O acompanhamento acontecia mais no dever de casa do que durante o programa.

Os pais também consideraram que aprenderam com o programa, o que os ajudou a tirar dúvidas dos filhos eventualmente. Isso é consistente com um acompanhamento mais ativo da vida escolar do filho.

A maioria dos pais também disse que se sentiu mais confiante em conversar com os professores sobre o aprendizado dos filhos. Isso também remete a uma maior participação dos pais na vida escolar.

Também chama a atenção na pesquisa o alto percentual (68%) de pais que acham que um programa como o Alfa e Beto na TV ajuda mesmo sob o regime de aulas presenciais. Isso pode ser interpretado como uma avaliação positiva do programa.

Ensino de alta qualidade durante a pandemia – Para João Batista Oliveira, presidente do Instituto Alfa e Beto, o programa comprovou a possibilidade de oferecer ensino de alta qualidade mesmo em situações extremas como a pandemia.

“Isso, no entanto, se tornou possível e viável tendo em vista a existência de um programa estruturado de ensino, com uma estrutura, sequência e conteúdo que tornaram possível a produção dos programas em um prazo tão curto de tempo”, diz.

De acordo com a avaliação do professor João Batista Oliveira, a pesquisa aplicada em Manhuaçu mostra que o Alfa e Beto na TV teve impacto positivo na vida dos alunos e de suas famílias, e que a articulação com os materiais didáticos funcionou.

O mais importante, para ele, é que as famílias acolheram positivamente a iniciativa. “Apesar das óbvias limitações dos pais para ajudar, especialmente em atividades específicas do programa de alfabetização, o programa parece ter surtido efeito sobre a percepção dos familiares quanto ao que podem fazer pelos filhos”, acrescenta.

Depoimento da ex-Secretária de Educação de Manhuaçu  Segue abaixo depoimento sobre a experiência com o Alfa e Beto na TV dado pela ex-Secretária de Educação de Manhuaçu, Maísa Damasceno:

“Em agosto de 2020, fui convidada a conhecer o programa. Junto com minha equipe pedagógica, fizemos uma avaliação do material e ficamos encantados.

Após a adesão, recebemos os kits de Língua Portuguesa e Matemática do 1º e 2º anos. Principalmente porque estávamos – e estamos – em pandemia, o material nos ajudou muito. Foi um complemento indispensável, que ajudou no sucesso escolar dos alunos. Foi mais uma opção para que eles pudessem adquirir conhecimentos.

O programa Alfa e Beto na TV foi muito bem estruturado. Os bonecos, a equipe por trás, os materiais, tudo isso chamou muito a atenção dos alunos. Posso dizer que essa iniciativa enriqueceu muito a aprendizagem deles.

Estamos vivendo um momento em que é preciso nos reinventar e fazer o nosso melhor para concretizar a aprendizagem dos alunos. O Instituto Alfa e Beto, com o Alfa e Beto na TV, veio no momento certo. Foi muito importante.

Por fim, aproveita a oportunidade para agradecer ao Instituto pela parceria com ótimos resultados que foi feita com a educação da cidade de Manhuaçu. Muito obrigada!”.