Sucesso da educação pública de Teresina é tema de livro lançado nesta terça, 24 de maio

616
teresina educação

O Instituto Alfa e Beto realizou nesta terça, 24 de maio, uma live para lançar a publicação “O avanço da educação em Teresina – um estudo de caso”, de autoria do professor João Batista Oliveira. O evento contou com a participação dos ex-secretários de educação de Teresina Washington Bonfim e Kleber Montezuma, que também apresentaram suas visões sobre o caso de sucesso da capital piauiense e responderam algumas perguntas.

A rede pública de ensino de Teresina (PI) ostenta o melhor desempenho dentre as redes das 27 capitais brasileiras tanto no 5º quanto no 9º ano do Ensino Fundamental nas disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa do Saeb – Sistema de Avaliação da Educação Básica.

Primeiro a falar, o professor João Batista Oliveira apresentou o que considera as “três fases” de maturação do sucesso da rede pública de Teresina. A primeira remonta ao fim do século passado, com programas de correção do fluxo escolar. Em 2002 e 2003, assim como na cidade de Sobral (CE) – outro notório caso de sucesso -, a alfabetização ganhou impulso, com reflexos positivos inclusive no fluxo escolar. A essas intervenções especificas, somaram-se práticas consistentes de planejamento e gestão, que viriam a dar frutos nos períodos seguintes.

Já a segunda fase foi marcada por diversas ações complementares que contribuíram para consolidar e fazer avançar práticas e conceitos. Por fim, a terceira fase, a partir de 2013, também registrou grandes avanços em termos de medidas gerenciais, institucionais e pedagógicas. Foi um momento em que se ampliaram as competências da Secretaria Municipal de Educação nas avaliações e em que se reforçou a adoção do Ensino Estruturado.

O ex-secretário de educação Washington Bonfim iniciou sua fala dizendo que, por trás de todas as medidas adotadas, havia um compromisso em construir oportunidades. “Tínhamos um direcionamento em termos de política pública no sentido de priorizar a aprendizagem das crianças”, disse. Ele também chamou a atenção para a necessidade de dar continuidade aos esforços. “Os resultados não vêm de uma hora para outra. As reformas educacionais precisam chegar à sala de aula, se transformar em conhecimentos para os alunos, e ter continuidade”, completou.

Por sua vez, o ex-secretário Kleber Montezuma disse acreditar que o sucesso de Teresina pode ser explicado por uma combinação de fatores como planejamento e gestão baseados em evidências, objetivos claros, monitoramento constante do que se faz, adoção de materiais e programas de ensino adequados (e, nesse ponto, ele fez referência à parceria com o Instituto Alfa e Beto) e avaliação da aprendizagem. “Estamos falando de um conjunto de fatores que dependem de boa gestão e continuidade”, salientou. Para ele, um grande desafio enfrentado foi a formação inicial de professores, “completamente fora da realidade e da necessidade das escolas”.

Ao concluir o evento o professor João Batista Oliveira acrescentou que “não há uma bala de prata” para mudar a educação. Para ele, fica clara a importância que o Ensino Estruturado teve tanto no caso de Teresina quanto no de Sobral. “São casos em que os professores usaram protocolos e instrumentos apropriados”, disse. Em sua avaliação, casos como os das duas cidades mostram que é possível fazer importantes mudanças e obter resultados em prazos relativamente curtos na educação. “Temos, para isso, ciência, conhecimentos e protocolos. Quem quer melhorar a educação do seu município tem condições de fazê-lo, mesmo com uma pandemia”, encerrou, anunciando já o próximo projeto: escrever o caso – também de sucesso – da cidade de Coruripe (AL).

Assista AQUI ao evento de lançamento da publicação “O avanço da educação em Teresina – um estudo de caso”.