Nota Técnica 002 – Professores, Protocolos de Ensino e o Futuro da Educação no Brasil

144
professores

O professor João Batista Oliveira, presidente do Instituto Alfa e Beto, publicou a nota técnica “Professores, Protocolos de Ensino e o Futuro da Educação no Brasil”. O documento apresenta conjuntos de evidências que ajudam a compreender o impacto dos professores e a desenvolver políticas que contribuam para melhorar a aprendizagem dos alunos.

De acordo com o especialista, há indicativos de que bons professores fazem diferença na vida escolar dos alunos, mas para efetivamente avançar na educação é preciso que a prática docente esteja ancorada em protocolos de ensino eficazes.

“Há evidências robustas a respeito do que funciona e faz diferença na ação do professor em sala de aula. Uma delas é o ‘ensino direto’ – apresentação direta e sistemática dos conteúdos, usando estrutura e sequência planejadas. Ele diverge do construtivismo em relação à natureza e à forma de apresentação das informações, que deve ser feito de maneira ordenada e sem ambiguidade”, explicou.

Para avançar na questão da qualidade dos professores e da educação no Brasil, o professor João Batista Oliveira aponta alguns passos importantes que precisam ser dados. Um deles é aproveitar a “janela de oportunidade”, ou seja: a diminuição da demanda por escolas, sala de aula e professores resultado da diminuição dos nascimentos por ano no país.

“Esse fato aliado a mudança de regras para se aposentar criou uma situação em que cerca de metade dos professores estará em idade de se aposentar. Ou seja, serão repostos por novos professores. Se nada for feito, continuaremos a recrutar professores dentre jovens que se situam entre os percentis 10 a 50 do Enem. E continuaremos a formá-los de maneira inadequada”, ressalta.

Dessa maneira, as propostas enumeradas por João Batista para renovar o quadro de magistério no Brasil incluem:

Ampliar a oferta (atrair pessoas já formadas e permitir que qualquer graduado se candidate a concurso); Exame rigoroso de qualificação inicial (avaliar conhecimento da disciplina para estabelecer padrão de alto nível); Seleção pelas redes de ensino (simplificar para melhorar mercado e atrair melhores professores); Estágio probatório (treinamento supervisionado e demonstração efetiva das habilidades); Novas escolas (ambiente adequado ao ensino-aprendizagem); e Novas carreiras (atrair e manter jovens talentosos).

Clique aqui e acesse a nota técnica “Professores, Protocolos de Ensino e o Futuro da Educação no Brasil”