Loading...

Blog

É hora de colocar as crianças para se movimentar

A construção de hábitos saudáveis tem início ainda na infância e quando o assunto é atividade física, a escola é uma importante aliada na projeção de uma vida mais saudável. Estimular a prática da atividade física em crianças e adolescentes é importante para uma vida adulta mais ativa. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é recomendado que até o fim do ensino fundamental haja pelo menos uma hora de atividade física moderada a vigorosa diariamente, ou 300 minutos de atividade física acumulados por semana.

Mas, infelizmente, não é isso que ocorre no Brasil, segundo um estudo do órgão publicado em 2012. A pesquisa PeNSE indica que apenas 33% dos adolescentes matriculados no 9º ano de escolas púbicas e privadas das capitais brasileiras praticavam naquele ano mais de 300 minutos semanais de atividade física – e pior: esse número representa uma redução de 23% em relação a 2009. Em contrapartida, o número de estudantes inativos atingiu 5,8% da amostra em 2012 (ante 4,8% em 2009).

Os dados preocupam e podem ser explicados pelas deficientes condições físicas das escolas, pela falta de professores para a prática destas atividades e de articulação entre os sistemas educativos e os sistemas de saúde entre os Estados e Municípios podem explicar estes resultados, segundo aponta o economista André Medici, que analisou em profundidade os dados da PeNSE (veja aqui).

Diante de um sedentarismo que se torna cada vez mais presente na vida das crianças, as associações internacionais de saúde apontam a necessidade de incentivar a prática de esportes desde a Primeira Infância. Em um país onde mais de 56% da população está acima do peso, incentivar a atividade física desde cedo, como brincadeiras ao ar livre e esportes coletivos, é uma questão de saúde pública.

Além dos impactos na saúde, como melhora no condicionamento físico e prevenção da obesidade, a atividade física pode estar diretamente ligada ao desenvolvimento cognitivo e emocional. A criança que se exercita tem mais chances de manter um bom rendimento escolar. Um estudo da Universidade de West Virginia com alunos americanos do 5º e 7º ano revelou que entre aqueles que faziam atividades físicas regulares havia uma tendência constante a obter notas mais altas. Mas quando interrompiam as práticas, as notas também caiam.

Agora que você conhece alguns dos benefícios da atividade física desde a Primeira Infância, que tal começar a implementá-la no dia a dia da sua escola e da sua casa? Listamos abaixo orientações específicas para a faixa etária da Primeira Infância (creches e pré-escolas) mas que podem ser úteis para todo o ensino fundamental. As orientações foram compiladas a partir dos materiais da Associação Nacional para Esporte e Educação Física*, dos EUA, e dividimos o material em três etapas: planejamento, execução e avaliação. Confira:

Planejamento

  • Faça um plano para garantir a segurança da atividade: use equipamentos adequados para o peso e a idade da criança; defina regras e estabeleça um sinal para a atividade começar e terminar (como um apito); aplique protetor solar nas crianças; garanta o consumo adequado de água; e tenha sempre à mão um kit de primeiros socorros.
  • Organize previamente os objetos que deseja utilizar na atividade. Bolas, cordas e bambolês são bom materiais para induzir o movimento corporal. O material pode variar de acordo com a idade e número de crianças.
  • Prepare-se para usar uma linguagem positiva e motivadora. As crianças ficarão mais animadas ou desanimadas de acordo com as reações do adulto.
  • Prepare o tempo de duração das atividades monitoradas: elas devem durar no mínimo 30 minutos para crianças de creches, e no mínimo 60 minutos (1 hora) com crianças de pré-escola.
  • Ofereça mais de um momento de atividade física ao longo do dia: além das brincadeiras e jogos programados, deixe ao menos 1 hora por dia para que as crianças possam se exercitar livremente, seja dançando, correndo ou jogando algum esporte.
  • Em espaços fechados e pequenos, invista em atividades que envolvem movimentos como pular, agachar e dançar.

Execução

  • Ofereça atividades que façam com que todas as crianças se movimentem juntas. Jogos como Patinho Feio e Lencinho na Mão não são recomendados nesse caso, porque as crianças passam muito tempo sentadas enquanto apenas duas se movimentam.
  • Leva as crianças para brincar ao ar livre o máximo que puder ao longo do dia.
  • Invista em circuito de jogos para não cansar a criança com uma única atividade e, ao mesmo tempo, para aumentar a frequência cardíaca.
  • Toque músicas adequadas para a faixa etária. Isso vai animar as crianças e fazer com que elas se movimentem.
  • Mostre para as crianças como utilizar um brinquedo de maneiras diferentes. Por exemplo, uma bola pode ser jogada com as mãos, os pés, a cabeça, pode servir de base para um jogo de circuito, etc.
  • Não faça jogos exclusivos, desses em que a criança precisa ‘abandonar’ a brincadeira porque errou uma jogada. Em vez disse, elabore regras que possam garantir a interação de todos. Uma tática simples para isso é a regra da estátua, em que a criança fica parada até que um colega encoste nela para ‘liberar’ seu movimento.

Avaliação

  • Depois de cada atividade, avalie o que funcionou e o que não deu certo. Procure maneiras de melhorar esses pontos na próxima.
  • Pergunte às crianças quais atividades elas mais gostam. Dê nomes para essas brincadeiras, assim as crianças poderão pedi-las em uma próxima vez.
  • Coloque novos desafios em um mesmo jogo quando perceber o desinteresse das crianças. Isso pode ser feito modificando regras para deixá-las mais apropriadas ao grupo.
  • Nas escolas: integre as famílias, lembrando-as que as atividades físicas são importantes para a saúde e que a exposição ao ar livre aumenta os níveis de Vitamina D das crianças. Encoraje os pais a fazer alguma atividade física semanal com seus filhos.
  • Incorpore a atividade física e a alimentação saudável na sua vida. O exemplo dos adultos ajudará as crianças a perceber a importância desses dois aspectos em sua vida. Quanto melhor o exemplo, melhor será a assimilação por parte da criança.

 

*Para acessar o material completo da  National Association for Sport and Physical Education (em inglês), clique aqui.

 

****

Gostou nas nossas dicas? Então coloque em prática hoje mesmo na sua rotina e depois conte para a gente os resultados.

 

Comente

Deixe uma resposta



Fique bem informado

Receba novidades do Alfa e Beto no seu e-mail.