Loading...

Blog

Toda criança pode ser alfabetizada na idade certa

Todas as crianças, mesmo aquelas com dificuldade de aprendizagem, são capazes de se alfabetizar ao fim do 1º ano do Ensino Fundamental. É o que dizem as evidências científicas. Mas para isso, é preciso que os professores e as escolas se prepararem para fazer um trabalho comprometido com a causa da alfabetização. Afinal, como diz Roger Beard, professor e pesquisador inglês, uma das tarefas mais importantes da escola é ensinar as crianças a ler e a escrever.

Esta mensagem é particularmente importante no dia de hoje. No dia 8 de setembro comemora-se o Dia Internacional da Alfabetização, uma data criada em 1967 pela ONU e pela Unesco para fomentar o tema ao redor do mundo. Para o Instituto Alfa e Beto, que nasceu do trabalho com alfabetização, essa data é motivo tanto de comemoração quanto de reflexão.

Comemoração porque ao longo de quase dez anos de trabalho o Instituto já alfabetizou mais de 1 milhão de crianças nos municípios onde já atuou, em parcerias com prefeituras e secretarias de educação. O caso de maior sucesso é Sobral, no Ceará, que ganhou destaque por oferecer ensino público de qualidade a todas as crianças. O reconhecimento de Sobral vem do fato de o município conseguir alfabetizar quase 100% de seus alunos no 1º ano, ou seja, na idade em que a ciência diz que a alfabetização deve acontecer.

Esse feito de Sobral só foi possível com o Programa de Alfabetização Alfa e Beto. Com trabalho sistemático e comprometimento, o município foi se desfazendo de seu passado entre as piores redes de ensino do Nordeste para ganhar notoriedade no país. E agora, a tecnologia passa a ser uma aliada importante nesse processo com a chegada do Galáxia Alfa, um software desenvolvido integralmente pelo Instituto Alfa e Beto e que contempla todas as fases da alfabetização de forma interativa e atraente.

Mas como dissemos no início do texto, esse também é um dia para reflexão. Isso porque sabemos que cidades como Sobral apenas se destacam por serem raridades no Brasil.

Os dados disponíveis no Brasil mostram que não existe uma política e um processo eficaz de alfabetização na maioria das redes de ensino. Se o aluno não foi alfabetizado no 1º ou 2º ano (séries em que supostamente há um professor alfabetizador), é pouco provável que ele tenha um professor no 3º ano que o alfabetize. E, dessa forma, as dificuldades se perpetuam, comprometendo todo o desempenho escolar das crianças. É o que mostram os dados educacionais brasileiros.

Esta situação só mudará quando as políticas públicas de alfabetização passarem a incorporar os achados da ciência sobre leitura e escrita. Nos últimos 40 anos, houve uma revolução nos conhecimentos a respeito da alfabetização. Nos últimos 20, essa revolução vem sendo consolidada com os conhecimentos da neurociência, que nos permite detectar no cérebro algumas das marcas deixadas pelos processos de alfabetização. O paradigma dominante nessa área se chama ciência cognitiva da leitura, e reúne cientistas de diversos campos do saber.

Por isso, nossa mensagem para reflexão nesse Dia Internacional da Alfabetização aponta para a urgência de alfabetizarmos as crianças na idade certa. Afinal, toda criança pode e deve aprender a ler e a escrever na idade certa.

Se você concorda, comente e compartilhe esse texto com seus colegas. Acreditamos que o debate sobre esse problema é o primeiro passo para a ação. Só não vale desistir diante das dificuldades: a mudança na educação começa na sala de aula.

Comente

Deixe uma resposta



Fique bem informado

Receba novidades do Alfa e Beto no seu e-mail.