Loading...

Seminário Especial

Alfabetização: Evidências científicas internacionais sobre o que melhor funciona

Seminário Especial

O Seminário teve por objetivo apresentar para professores e técnicos de Secretarias de Educação uma visão geral sobre os avanços do conhecimento e as evidências científicas sobre métodos de alfabetização.

Foram abordados dois temas específicos. José Morais traçou a evolução do conhecimento científico sobre alfabetização desde a década de 80 e, de modo particular, explicou como os pesquisadores, especialmente os neurocientistas e psicolinguistas, estudam os processos de aprendizagem da leitura. Também explicou como é possível refutar hipóteses científicas e como saber se um conhecimento é científico ou não. De modo particular, ressaltou a importância de conhecer o rigor das metodologias, a qualidade das publicações onde os cientistas publicam seus trabalhos e a importância da evidência cumulativa e concorrente. Um só estudo, por mais rigoroso que seja, não é suficiente para refutar uma hipótese. Mas o resultado de uma série de estudos, desenvolvidos de forma independente, a partir de perspectivas diferentes, é evidência suficiente para saber se algo é científico ou não. Os métodos fônicos, por exemplo, vêm sendo investigados há pelo menos três décadas, e a evidência sobre sua superioridade é inegável.

Já Tatiana Pollo abordou uma questão específica, a partir de um estudo comparativo da aprendizagem da leitura em diferentes línguas – no caso, o português do Brasil e o inglês. Com base na hipótese da aprendizagem estatística, seus estudos procuram saber se, durante o processo de alfabetização, as crianças passam por um estágio silábico, que seria caracterizado, segundo Emilia Ferreiro, pelo uso de consoantes para iniciar e representar palavras. Estudos realizados pela professora Tatiana e seus colegas em diversos países refutam essa hipótese, ao comprovar que as letras usadas pelas crianças estão associadas à sua familiaridade e/ou frequência em que aparecem numa determinada língua, e não ao fato de serem vogais ou consoantes.

Palestrantes

Seminarios_Tatiana Pollo

Tatiana Pollo

Universidade Federal de São João del Rey

Formada em psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, é professora adjunta da Universidade Federal de São João del Rey. Possui mestrado, doutorado e pós-doutorado na Washington University em Saint Louis, nos Estados Unidos. Sua dissertação de doutorado recebeu o prêmio James McKeen Cattell da Academia de Ciências de Nova York e aborda o desenvolvimento da linguagem escrita em crianças com desenvolvimento típico e atípico em português, bem como em outras línguas.

Seminarios_Jose Morais

José Morais

Universidade Livre de Bruxelas

Doutor em desenvolvimento da cognição e psicolinguística da Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. É também doutor honoris causa da Universidade de Lisboa e professor emérito da ULB, onde ensinou psicolinguística assim como psicologia e neuropsicologia cognitivas e onde foi Diretor da Faculdade de Psicologia e do Laboratório de Psicologia Experimental e da Unidade de Pesquisa em Neurociências Cognitivas. Foi Presidente do Comitê Nacional de Psicologia da Academia das Ciências da Bélgica entre 2002 e 2010, membro do Observatório Nacional da Leitura da França entre 1995 e 2006 e é, desde 2007, membro da Comissão Científica do Plano Nacional de Leitura de Portugal. As suas contribuições científicas trataram ou tratam de questões relativas à especialização funcional dos hemisférios cerebrais, ao processamento da fala, à aprendizagem da leitura e às relações entre alfabetização, cognição e cérebro. Publicou diversos livros, entre os quais A Arte de Ler (UNESP, 1994) e Criar Leitores (Manole, 2013).

Seminários Recentes



Fique bem informado

Receba novidades do Alfa e Beto no seu e-mail.