Instituto Alfa e Beto comemora 20 anos com Seminário Nacional de Educação em Bento Gonçalves (RS)

Encontro, que ocorreu nos dias 22 e 23/06, reuniu secretários municipais de Educação de todo o Rio Grande do Sul

615
Instituto Alfa e Beto comemora 20 anos com Seminário Nacional de Educação em Bento Gonçalves (RS)

O Instituto Alfa e Beto (IAB) reuniu secretários municipais de Educação de todo o Rio Grande do Sul e que utilizam os programas do Instituto para comemorar os 20 anos de sucesso do seu Programa de Alfabetização. O encontro aconteceu nos dias 22 e 23 de junho, em Bento Gonçalves. O tema do Seminário Nacional 2023 será “Pandemia e Educação: Acertando o Passo”.

No encontro, foram apresentadas ações que contribuem para a tomada de decisões e produzem impacto positivo na aprendizagem dos alunos, na escola e no bom uso dos recursos públicos, além de um balanço da pandemia no Brasil e no mundo, com suas lições e consequências. Também foram divulgadas novidades que vão ajudar ainda mais na melhoria da educação brasileira.

O Programa Alfa e Beto de Alfabetização já alfabetizou mais de 2,5 milhões de alunos da rede pública do país, com nível de excelência e com a participação de mais de 30 mil professores. Mais de mil municípios brasileiros já optaram pela metodologia ao longo desses 20 anos.

“O Instituto Alfa e Beto sempre nos apoiou. O trabalho é feito com metodologia, cuidado e muita atenção. Nossas crianças aprendem com facilidade, agilidade e leveza. O material facilita muito no ensino-aprendizagem”, afirmou Marcele Lima, secretário no município de Estação.

Sucesso

Um dos casos de sucesso do Instituto Alfa e Beto no Rio Grande do Sul aconteceu no município de Viamão. Os gestores municipais, em 2018, procuraram o IAB em busca de soluções eficazes para melhorar a educação. Os resultados do ano anterior mostravam que a cidade estava estagnada no ensino da Língua Portuguesa e piorando em Matemática. Quanto à alfabetização, também era necessária uma intervenção séria, que possibilitasse o desenvolvimento de habilidades essenciais nas crianças.

No mesmo ano de 2018, o Instituto implementou um programa de revisão para os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental, com o intuito de recuperar a defasagem de aprendizado. Com base no diagnóstico, foram estabelecidas uma série de medidas pedagógicas e de gerência na rede municipal, que possui 62 escolas com cerca de 25 mil estudantes.

Foram adotados um sistema de informação gerencial e de supervisão; estratégias de ensino estruturado para a Pré-Escola e Alfabetização, e de Matemática para as séries iniciais do Ensino Fundamental; professores e funcionários administrativos da secretaria e das escolas foram capacitados; e a sociedade foi mobilizada para entender e contribuir com a frequência escolar, para que os alunos parassem de perder aulas.

Em apenas dois anos de mudanças profundas os resultados apareceram. Houve um crescimento de 12,2% nas notas de Matemática do 5º ano na Prova Brasil de 2017 a 2019; e de 8,8% nas de Língua Portuguesa da mesma série, também naquele período.

Em estudo realizado pelo Instituto, os resultados de Viamão demonstram que 62% dos alunos avaliados atingiram o nível máximo no teste de alfabetização e 8% atingiram o nível 2; ou seja, praticamente 70% dos alunos foram alfabetizados.

O ex-secretário de Educação de Viamão, Carlos Bennech, participou do encontro e ressaltou o trabalho do Instituto Alfa e Beto para que o município alcançasse os melhores resultados educacionais. Ela contou ainda como foi sua atuação na gestão do órgão municipal.

“Foi um trabalho feito com muito amor, olhando nos olhos dos professores, alunos e pais e, com transparência, mostrando o que estava errado e como poderia melhorar. E mais o apoio do Instituto Alfa e Beto, tudo caminhou para o lado certo”, disse.

Outros municípios

Também foram apresentados casos de sucesso como o de Sobral (CE) e Teresina (PI), entre outros. Esses municípios adotam os materiais e metodologias do IAB. Sobral é exemplo icônico desse êxito, onde o programa Alfa e Beto de Alfabetização foi implantado desde o seu lançamento, em 2003, e permanece em prática. O município cearense conseguiu, ao longo dos últimos anos, elevar a qualidade da educação e sua bem-sucedida trajetória fez com que a cidade fosse considerada pelo Senado a capital da educação do Brasil. Teresina é um outro caso de sucesso. Desde o ano de 2000, a cidade, que também adotou programas do Instituto Alfa e Beto desde a pré-escola até o final do Ensino Fundamental, apresenta bons resultados na Prova Brasil. Em 2019, obteve o melhor desempenho entre todas as capitais e cidades de maior porte. Conheça os cases no link Casos de sucesso.

Projeto anos finais do EF

A grande novidade apresentada no Seminário Nacional 2023 foi a Coleção Ômega, voltada especificamente para os anos finais do Ensino Fundamental, considerado o elo perdido da educação. Esse segmento, onde há a transição para o Ensino Médio, tem sido relegado pelas redes de ensino.

“A Coleção Ômega foi pensada para atender aos jovens dos anos finais, uma juventude que foi muito atingida pela pandemia. Além das mudanças no modo de vida e dos rompimentos, foi a fase que mais ficou com sequelas. Pensamos na desistência, deserção, no despreparo e na falta de orientação vocacional pela qua esses estudantes passam”, afirmou João Batista Oliveira, presidente do Instituto Alfa e Beto.