Novos professores são menos qualificados, diz estudo

Reportagem publicada no jornal Valor Econômico desta quinta-feira (28) destaca novo Boletim IDados da Educação, que traça um perfil dos estudantes que se formam em cursos de Pedagogia e Licenciatura no Brasil.

O texto diz  que a qualidade dos alunos de Pedagogia nos últimos anos vem caindo por dois motivos: a visão de pessoas de menor renda de que o magistério é o acesso mais rápido para o diploma superior; e a expansão de programas como o Fies e o Prouni. A reportagem traz comentários de Paulo Oliveira, presidente do IDados, que aponta para o potencial devastador desses dados.

Oliveira fala na entrevista sobre a necessidade de rever, com cautela, as políticas para professores no Brasil:

A primeira [solução], mais do que apenas aumentar o salário, seria criar um plano de carreira para professores. “Não é dar aumento para qualquer um. Precisa atender certos critérios, ter um certo perfil”, diz. A segunda seria recuperar o “prestígio social” do professor, “como acontece agora em algumas cidades do interior”. A terceira seria exigir do professor, como é feito em outros países, que ele tivesse uma formação anterior para que pudesse se formar em pedagogia.

O Boletim fez uma análise a partir de dados do ENEM e do ENADE e mostra um retrato revelador sobre os educadores. Clique para ler a reportagem completa.

Faça o download do Boletim IDados da Educação N.3: O perfil dos Futuros Professores

 

 

Compartilhe este Artigo

Se você gostou desse artigo, por favor, tome um segundo para compartilhá-lo.